segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Cat Power


Ahhhh, sabe aqueles dias que vc acorda numa trilha sonora??? Aqueles dias melancólicos, mas não uma melancolia triste, eu estou falando de uma melancolia doce, que te deixa numa tristeza gostosa, sabe??? Com saudade de não-se-sabe-o-quê, entende???... Pois é isso mesmo. Diante desse clima que meu dia hoje está, lembrei dela. Dessa mulher sensacional, inteligente, e de um bom gosto musical raríssimo nos grandes nomes da música pop hoje em dia. Acho que todos já conhecem ela, mas caso alguém que não tenha ainda descoberto essa pérola passe por aqui, eu tenho todo prazer de apresentar: esta é Charlyn Marie Marshall, ou se preferir Chan Marshall, ou mais ainda, ela é a graciosa CAT POWER, banda de uma mulher só (ela mesma...), que teve início entre 1992/93. Eu acho ela très chic!!!!... fófis demaaaais da conta!!!!...

Então, conheci ela quando estava ainda no ensino médio. Quem me apresentou foi um amigo, o Raphael do blog Teen Trash, numa coletânea da Matador Recs. chamada "What's Up, Matador?". Desde então, meu coração bati-bati por Cat Power. Eu sou adepta daquela teoria de que a vida tem trilha sonora, sabe?? E pra mim, Chan e suas músicas são a trilha perfeita pra certos momentos... que o diga meu dia de hoje!! Não sei, mas a impressão que eu tenho é que as músicas dela vão lhe contando a história do que está acontecendo com você naquele momento, sabe?!! É como se vc estivesse ouvindo uma história sobre você mesma... e eu adoooro isso!! hehehe E este álbum dela que estou pondo aqui então... é de arrepiar até os cabelos do... deixa pra lá...hahahahha. Então, o álbum q eu estou pondo aqui é o "The Greatest". Excelente!! E por sinal, na época em que foi lançado (2006), recebeu ótimas críticas como por exemplo "O melhor trabalho da vida dela!"... mas, a verdade, é que "The Greatest" é um trabalho do cacete da Chan. A música "The Greatest", que abre o cd, já foi várias vezes, minha companheira de tardes melancólicas. Outra música liiinda é "Willie", perfeita para sentar sozinha no telhado da sua casa e ficar olhando a lua com uma cervejinha do lado (eu nunca fiz isso, mas imagino sempre q deve ser um momento sublime...), e essa música também sempre me lembra uma amiga minha, por quem eu nutria um grande carinho. Outra perfeita é "Lived In Bars", realmente apaixonante. E por aí, vai... Em fim, "The Greatest" é uma coisa linda de se ouvir, de cabeça pra baixo, de costas, de frente, de ladinho... deitada, em pé, ensaiando uns passinhos... da maneira q vc achar melhor... "The Greatest" é música pra tudo! Uma grande sacada de Chan. Um passeio pelo blues, pelo country, mas sempre com aquela marca do folk/rock... e da voz dela, claro, que é a melhor parte: aquela coisa tímida e, ao mesmo tempo, de um timbre encantador, daqueles que se vc estiver escutando o mundo pode desabar do teu lado, que vc não vai tá nem aí... é só uma questão de deixar a música passar ouvidos à dentro...

Mas para não passar batido, tbm vou pôr aqui um pouco da história dessa musa pra vcs...

"Filha de um pianista, desde muito cedo em contato com a música, largou e ensino médio e foi morar em Nova York. Lá, sob o nome de Cat Power, realizou seu primeiro show em um Pub no Brooklin, segundo ela uma apresentação de improvisações, entre 1992 e 1993.

Em 1994, abriu alguns shows da cantora Liz Phair e conheceu Steve Shelley (baterista do Sonic Youth) e Tim Foljahn (guitarrista do Two Dollar Guitar), que a encorajaram a gravar seus dois primeiros álbuns "Dear Sir" (1995) e "Myra Lee" (1996). Ambos foram gravados em Nova York no mesmo dia, em dezembro de 1994. Em 1996, assina com a gravadora Matador e grava seu terceiro álbum intitulado "What Would the Community Think", lançando o clipe do single "Nude as the News".

Após uma turnê de 3 meses em 1996, Chan abandona a cena musical para trabalhar como babá em Portland, no Oregon e depois se muda para uma fazenda em Prosperity na Carolina do Sul com seu namorado Bill Callahan (Smog). Chan Marshall planejava abandonar a música definitivamente, mas após uma noite de pesadelos surgem as letras que irão compor o álbum "Moon Pix", gravado no Sing Sing Studios em Melbourne na Austrália.
Com elogios da crítica, Cat Power passou a ser reconhecida pela cena do Indie Rock. A cantora é convidada a fazer o acompanhamento musical do filme mudo "A Paixão de Joana d´Arc", uma produção francesa de 1928. Nestes shows eram apresentados novos materiais e muitos covers, que deram origem ao álbum "The Covers Record" (2000), uma coletânea de versões tocadas por Chan entre 1998 e 1999.
Em 2003, Cat Power volta com canções novas no álbum "You are free", super elogiado e com a participação de músicos como Eddie Vedder e Dave Grohl. No ano de 2004, ela lança seu primeiro DVD chamado "Speaking for Trees", acompanhado de um CD de áudio. Em 2006, Chan interrompe sua turnê pelos EUA e pela Inglaterra por motivos de saúde. Mais tarde a própria cantora revelou ao The New York Times que estava em depressão profunda e com tendências suicidas devido ao uso de substâncias químicas e álcool, que passaram a fazer parte do cotidiano da cantora durante os ininterruptos shows e turnês desde 1998. Após tratamento psquiátrico no Miami's Mount Sinai Medical Center, Chan Marshall retorna recuperada e lança aquele que é considerado o seu mais bem elaborado álbum "The Greatest" em 2006, com a colaboração de Al Green e do guitarrista Teenie Hodges. Um flerte da musa indie com o soul."

Fonte: Wikipedia, very very thanks!!!!




Site Oficial de Cat Power



Então, é isso!!!
Que essa semana seja excelete pra vcs, e que a minha passe muuuuuito rápido!!!
Comam... ah, sei lá... não comam nada! Comer engorda!!!
Tomem cerveja pra caraio!!!!!!!!!
E façam muito sexo!!! Uhúúúúú!!!!!!!!

Beijomiliga!!!

Rock On, baby!!!!!!!!

Um comentário:

Raphael Cruz disse...

acho esse o jeito mais legal que você escreve, meio crônica meio resenha musical. deixe a leila daquele blog de contos falar junto com a pirate liza.

valeu pela lembrança da coletânea e do ensino médio....
abração!